Posts tagged ‘Terceirização’

Logística na Gestão de Suprimentos

Para que a logística possa oferecer resultados positivos à empresa é preciso observar a cadeia produtiva inserida na organização. Para tanto, deve-se avaliar a cadeia de suprimentos e o gerenciamento desse ciclo de suprimento.   

 A cadeia de suprimento é o grupo de fornecedores que suprem as necessidades de uma empresa na criação e desenvolvimento dos seus produtos. As empresas que utilizam a mesma cadeia de suprimentos devem se comunicar e cooperar entre si eliminando todo desperdício, com o objetivo de satisfazer o cliente final ao menor custo possível.

 As informações ocorrem nos dois sentidos, existindo um fluxo de informações, recursos, reclamações e de produtos, entre outros, no sentido cliente para fornecedor e vice-versa, na busca pela melhoria contínua. 

Por sua vez, o gerenciamento da cadeia de suprimento ou supply chain Management (SCM) é a gestão da cadeia de suprimento com o objetivo de torná-la cada vez mais eficaz. Esta gestão visa identificar os pontos fortes e fracos de toda a cadeia a fim de tomar decisões com o objetivo de mudanças, combatendo o desperdício e aumentando a competitividade da empresa (Shapiro, 2001, p.4).

A gestão da cadeia de suprimento adota várias práticas logísticas visando eliminar desperdício e reduzir custos, tais como: 

Cooperação: incentivar o trabalho conjunto entre clientes e fornecedores com objetivo de eliminar toda e qualquer operação que não agregue valor (desperdício).

Tecnologia da Informação: a informática oferece ferramentas utilizadas na gestão da logística, tais como ERP, WMS, EDI, código de barras, kanban eletrônico, RFID, etc. A exatidão e correção da informação são fundamentais para tomada de decisões, além de viabilizar ou facilitar a execução de outras práticas aqui listadas. Não é mais possível ser eficiente sem o auxílio dessas ferramentas e de um sistema ERP confiável e preciso como o Omega,  que ofereça  amplo suporte para as operações. 

Modais no transporte: é boa prática a utilização de qualquer modo de  transporte combinado durante o percurso, se houver redução de custo ou prazo é necessário manter a qualidade requerida. 

Logística Reversa: devido à preocupação com o impacto no meio ambiente, a legislação está levando as empresas a serem responsáveis pelos produtos e embalagens após a entrega aos clientes. Os produtos que se tornam obsoletos, danificados ou quebrados devem retornar ao ponto de origem onde serão reparados ou sucateados e as embalagens reaproveitadas. As vantagens estão na percepção dos clientes sobre a preocupação ambiental do fornecedor e na redução de custos na compra de embalagens e matérias primas. 

Terceirização: considera a opção de contratar parceiros para executar atividades específicas as quais podem ser mais bem executadas e a menor custo do que sua empresa é capaz.   

Globalização: considera que não existem pré-condições geográficas definidas; fornecedores e clientes podem estar em qualquer parte do planeta, se houver vantagens competitivas.

Aspectos Fiscais e Tributários: procurar e negociar com os governos, ocupar regiões geográficas onde vantagens fiscais e tributárias são oferecidas. 

Redução dos Riscos: avaliar os processos e planejar para reduzir as chances de algo dar errado através da análise e correção, a logística tem que estar preparada para “a lei de Murphy”.

À medida que estas e outras práticas logísticas são implantadas, consegue-se uma gestão mais eficaz possibilitando a empresa obter resultados mais perceptíveis em termos de organização, fluxo estável, redução de custos, maximização de resultados, satisfação dos clientes e permanência no mercado.

A gestão da cadeia de suprimentos é um dos mais importantes passos a serem dados pelas empresas que necessitam melhorar seus processos, principalmente, quando envolve fornecedores e empresas terceirizadas em seus processos de manufatura e/ou distribuição. A importância da logística nos processos atuais é justificada pelos custos agregados resultantes.

A qualidade dos produtos e serviços é um fator determinantepara o sucesso de uma cadeia de suprimentos, pois a má qualidade ou falta dela pode gerar atrasos nas entregas com respectivos custos, multas, perdas financeiras e de imagem, bem como produtos danificados ou impróprios para o uso produzindo custos de retrabalho e de sucata. 

Muito se tem dito sobre esse assunto, porém, infelizmente, somente uma parte desse discurso é praticado no dia a dia das pessoas e empresas.

A observação sobre os impactos que causamos no planeta tem relação direta com a logística enxuta, porém poucos são os que param para reavaliar seus hábitos e práticas no âmbito individual e, consequentemente, no âmbito coletivo de suas ações.

            Uma sugestão que favorece o planeta e o bolso do empresário é começar a olhar a forma como se dão os processos logísticos da empresa, enxutos ou não!

Bibliografia

1-       José de Carvalho, Edições Silabo, Logística (2002), Estratégias Logísticas (2004).

2-       Donald Walters, Palgrave Macmillan Logistics (2003).

3-       Shapiro, Pacific Grove, Modeling the Supply Chain (2000).

4-       Ayers, St. Lucie Press, Introduction to the Supply Chain (2001).

 *Aldo Albieri é engenheiro eletrônico formado pele FEI e especialista em logística. Com mais de 20 anos de experiência na área industrial, atualmente é consultor de negócios da ABC71 Soluções em Informática.

01/04/2010 at 7:00 am 1 comentário

Pesquisa sobre Terceirização Logística no Brasil

Tecnologística apoia pesquisa de universidades americanas

Objetivo do projeto é examinar práticas de terceirização logística no Brasil

No atual mercado globalizado, as empresas têm identificado a
necessidade de desenvolver uma base de clientes fiel. É comum os
executivos destas corporações afirmarem que manter os clientes atuais
e ampliar as parcerias já existentes é significativamente mais
econômico do que adquirir novos clientes. Por este motivo, questões
como a satisfação do cliente, custo do gerenciamento da cadeia de
suprimentos e rentabilidade estão diretamente relacionadas à
capacitação logística das empresas. Como gerenciar as operações de
forma efetiva e, assim, vencer os desafios e tirar proveito das
oportunidades do mercado atual são alguns dos questionamentos.
Para responder estas e mais perguntas, pesquisadores das
universidades norte-americanas de Arkansas, John Carroll e Ohio State
University, com o apoio da revista Tecnologística, estão conduzindo um
estudo examinando as práticas de terceirização logística no Brasil. Para
garantir que os resultados deste estudo representem as opiniões de
empresas envolvidas neste tipo de atividade, as instituições
elaboraram um questionário a fim de conhecer as ideias daqueles que
operam no setor e traçar comparativos com o estudo realizado com
empresas nos Estados Unidos e Alemanha.
O questionário, cujo preenchimento leva aproximadamente 15
minutos, estará à disposição até o dia 15 de setembro no site da
Tecnologistica. Vale lembrar que as instituições garantem a
confidencialidade das respostas e que nenhum dado do respondente ou
da empresa será divulgado. Os participantes receberão um relatório
eletrônico com os resultados. Vinte iPods shuffle serão sorteados entre
os participantes que preencherem completamente o questionário.
Para participar da pesquisa você pode acessar também
https://osu.qualtrics.com/SE?SID=SV_5nL8l0qMyNP0XBO&SVID=Prod
Os resultados da pesquisa também serão divulgados na revista
Tecnologística.
Qualquer dúvida sobre o preenchimento, contatar Adriana Hofer
(ahofer@walton.uark.edu).

Fonte: Portal Tecnologística
http://www.tecnologistica.com.br/site/5,1,16,24961.asp

18/08/2009 at 3:25 pm Deixe um comentário


CONTATOS

TELEFONES:
11 2446-2565

EMAILS
jove@jovelogistica.com.br

Siga a Jove no Twitter

Mês

Visitantes

  • 206,115

Páginas